Gostou? Incentive o autor!

Como trabalhar no mercado financeiro?

Você gostaria de ganhar bem e trabalhar em lugares onde a meritocracia é um mantra ?

Iniciar uma carreira em finanças não é só pelo dinheiro, embora seja bem próxima dele. Afinal o dinheiro não é a coisa mais importante do mundo, mas afeta todas as coisas que são importantes.

O setor financeiro é multifacetado, oferecendo uma variedade de posições que atendem a uma série de habilidades e interesses diferentes.

O setor de serviços financeiros tem vários sub-setores que abrangem oportunidades de nicho. A chave para o sucesso individual é pesquisar, localizar e conseguir o emprego financeiro que tenha maior compatibilidade com suas habilidades e interesses. O mesmo é verdade para os profissionais que buscam uma mudança de cenário e entrar neste setor.

O mercado financeiro costuma atrair diversos jovens em início de carreira –principalmente engenheiros, pessoal de Tecnologia, matemática, economistas e administradores.

Para quem se interessa por finanças, há muitos caminhos possíveis.

Vejamos alguns deles:

OVER STOCK BROKER

Trader do mercado financeiro

Quem se sente atraído pela adrenalina da bolsa de valores, por exemplo, pode trabalhar em corretoras que acompanham o mercado minuto a minuto para saber o melhor momento de comprar e vender ações.

Este cargo é possível para quem tem interesse em atuar com investimentos, seja de forma autônoma ou trabalhando em uma instituição financeira como um sales trader, isto é, aplicando o próprio dinheiro e obtendo ganhos pessoais, ou contratado por uma empresa, negociando com o dinheiro da instituição.

O trader compra e vende ações e outros ativos negociados nas bolsas de valores.

Um trader não precisa estar certo o tempo todo para ser lucrativo. Afinal perdas de negociação são inevitáveis. Com um gerenciamento de risco adequado e flexibilidade suficiente, você pode aproveitar as ideias certas e encontrar uma maneira de proteger seu capital até que esteja certo novamente

Pela natureza da profissão — que demanda análise e balanço de dados —, além da capacidade de analisar oscilações e padrões incomuns no comportamento do mercado financeiro, as formações que mais costumam favorecer o desempenho na profissão são Engenharia e Teconologia da Informação.

O lucro mensal de um trader autônomo varia muito, pois essa profissão depende das oscilações dos ativos e do grau de habilidade técnica do trader: podendo ganhar lucros ilimitados ou mesmo perder dinheiro . Mas os bons traders sabem limitar seus prejuizos.

Como ser um trader:

No Brasil não existe a certificação oficial de trader, por isto cursos certificados de Trader de escolas de renome como a Trader Brasil são tão reconhecidas no mercado.

A Trader Brasil possui o melhor curso, o mais antigo (17 anos) e renomado do país, Dê uma olhada aqui. 

 

Salário: Se você quer ter salário como um trader  é melhor procurar outra profissão.

Trader assalariado e Diretor de Sales Trader

Já os traders que trabalham para empresas costumam ter salários fixos, em média R$ 4 mil, e é possível encontrar vagas que oferecem até R$ 40 mil nas hierarquias mais altas.

Salário: R$ 4000- R$40.000

Qual a diferença entre Analista de Investimentos CNPI -APIMEC e um Gestor CGA Anbima?
Gestor de cartteiras – CGA Anbima

Gestor de Carteiras

A carreira de um gestor consiste na gestão e elaboração da carteira de investimentos de um cliente. Este profissional assume a responsabilidade de gestão dos recursos de terceiros podendo realizar a alocação desses recursos em ativos, podendo gerir também fundos de investimentos ou clubes de investimentos. São profissionais responsáveis pela composição dos ativos que farão parte da carteira de investimentos, e pela tomada de decisão em retirar ou colocar determinado ativo, sempre levando em consideração os riscos e as políticas de investimentos pré-definidas da qual estão submetidos.

O profissional gestor possui muito auxílio de seus analistas e possui relação direta com o “‘buyside”  ( referência aos gestores de fundos de investimentos e de pensão), de onde retira grande parte de sua tomada de decisão baseada em suas análises.

Além de manter contato com analistas, o gestor também pode trabalhar de forma mais comercial, captando novos investidores (recursos para o fundo de investimento ou clube de investimento que gere).

O trabalho exige uma carga horária moderada, porém, está exposto a uma grande necessidade de tomadas de decisões imediatas. A profissão é considerada um passo seguinte natural dos analistas Buy-Side. As grandes oportunidades de empregos estão em bancos de investimentos e CVTMs. Dentre elas, estão: XP investimentos, Credit Suisse, Pátria Investimentos, BTG Pactual, entre outros.

Como ser um gestor de investimentos:

Parar exercer a função é necessário que o profissional obtenha a certificação ANBIMA CGA, que autoriza a gestão de recursos de terceiros. Veja o curso preparatório CGA ANBIMA  aqui.

Salario$$$$$$$

Obs: Além do salário, o gestor ainda conta com a possibilidade de obter maiores ganhos com a taxa de performance, que consiste na valorização de seu trabalho quando sua carteira supera determinado benchmark.

RESSALVA IMPORTANTE:

Algumas carreiras não podem ser cumulativas como é o caso da carreira de gestores, analistas e agentes autônomos de investimentos.

Você obrigatoriamente terá que optar por uma delas, não podendo acumular duas destas carreiras ao mesmo tempo.

 

womantrader2Analista de Investimentos

Como o nome já diz, esse profissional é focado em análises para orientar seus clientes (ou a empresa em que atuam) a realizarem investimentos financeiros que valham a pena. O analista de investimentos também pode identificar oportunidades de negócios, ao mapear um determinado mercado empresarial.

Como ser um analista de investimentos: Existem dois ramos de atuação para esse profissional, e ambos exigem certificação específica conhecida como Certificado Nacional do Profissional de Investimento (CNPI).

Veja o curso preparatório CNPI APIMEC  aqui.

O primeiro ramo seria o técnico, obtido após aprovação no exame CNPI-T; o segundo é o analista fundamentalista, que deve fazer o exame CNPI.

Antes de uma ou outra prova, o profissional precisa fazer um exame inicial chamado Conteúdo Brasileiro (CB). Para tornar-se um analista de investimentos sênior — ou seja, habilitado nos dois ramos — deve prestar todas as provas.

A média salarial dessa área é de R$ 2300 para principiantes e chega a R$ 10 mil, ou mais, para os experientes.

Analista Sell-Side

O papel do analista Sell-Side (o ‘sell-side‘  representa as corretoras/bancos que têm como foco a intermediação de negócios: taxas e corretagem), consiste em um trabalho majoritariamente fundamentalista, ou seja, o analista Sell-Side observa e acompanha um ou mais setores da economia com o objetivo de se especializar nesse(s) setor(es).

Dessa forma, consegue formular relatórios detalhados e com conhecimento sobre as empresas que cobrem. Tal relatório é repassado para analistas Buy-Side (gestores de fundos de investimentos e de pensão)  e gestores de carteiras. Basicamente, o analista Sell-Side auxilia os tomadores de decisão no processo de elaboração de suas carteiras, o relatório feito pelo Sell-Side é abertamente divulgado.

Essa profissão exige tempo de trabalho moderadamente elevado, principalmente em épocas que ocorrem publicação de balanços das empresas cobertas. Os profissionais mantém muito contato com os funcionários das empresas que auxiliam para que possam colher as informações mais precisas e montar relatórios mais exatos. Além dessa proximidade, realiza um trabalho conjunto com a área de Buy-Side com a intenção de auxiliar os gestores na tomada de decisão.

A profissão tem abertura para trabalhar em diversos bancos de investimentos, como: ITAÚ BBA, BTG PACTUAL, CREDIT SUISSE, JP MORGAN, GOLDMAN SACHS, UBS, entre outros.

É obrigatória a certificação CNPI – APIMEC, forma de avaliação do analista que pretende exercer a função. Apenas com a CNPI o analista estará apto a realizar a recomendação de um investimento.

Como ser um analista de investimentos: exige certificação específica conhecida como Certificado Nacional do Profissional de Investimento (CNPI).

Veja o curso preparatório CNPI APIMEC  aqui.

Salário$$$$$

Analista Técnico

A carreira de analista técnico está diretamente ligada à interpretação gráfica e dedução matemática. Assim como analistas fundamentalistas (Buy-Side e Sell-Side) o objetivo é escolher o ativo certo para se investir, porém, o analista técnico atua em um intervalo de tempo menor, no curto prazo, buscando se beneficiar da alta/baixa de um ativo no devido momento. O analista técnico não se importa com a empresa em si e seu funcionamento, o analista técnico se atenta a comportamentos passados para tentar prever um comportamento futuro.

A rotina de um analista técnico consiste em analisar gráficos de oscilações dos ativos e representar matematicamente o ativo, sempre visando encontrar a oportunidade certa para atuar. Os dados levantados pelos analistas técnicos são encaminhados para os gestores das carteiras.

Os maiores interessados em profissionais desse ramo são: ITAÚ BBA, BTG PACTUAL, CREDIT SUISSE, SAFRA, entre outros bancos de investimos e fundos de investimento. Os contratantes tem preferência por profissionais certificados (CNPI-APIMEC) para desempenhar tal função, pois apenas com a certificação pode-se fazer recomendações.

Como ser um analista de investimentos: exige certificação específica conhecida como Certificado Nacional do Profissional de Investimento (CNPI).

Veja o curso preparatório CNPI APIMEC  aqui.

Salário$$$$

traderwoman5

Agente Autônomo de Investimentos

A carreira de Agente Autônomo de Investimentos (AAI) se assemelha muito ao trabalho de um assessor financeiro.

Uma nota importante para aqueles que consideram esta carreira é que muitos corretores  têm experiência de trabalho adicional antes de entrar no campo. Especialmente se você está procurando uma carreira como um corretor, qualquer experiência em vendas anteriores é altamente valorizada. Isto é devido ao componente de vendas da posição de corretagem.

O AAI atua no mercado de forma a ser um intermediário entre os produtos financeiros e o cliente, portanto, é esperado do AAI um grande conhecimento sobre diversos investimentos, renda fixa, ações, derivativos, mercado de opões, fundos, entre outros.

Além do conhecimento sobre mercado, o profissional deve possuir um bom relacionamento interpessoal, pois lida diretamente com seu cliente fazendo um papel muitas vezes “educacional”. Como dito antes, o AAI possui um papel de assessor de investimentos, ou seja, ao captar um cliente, o AAI avalia o perfil do investidor e lhe oferece produtos financeiros que irão se relacionar da melhor forma com o risco/retorno esperado de acordo com o perfil deste investidor, usando sempre do seu conhecimento e das analises de mercado.

O Agente Autônomo de Investimentos não possui permissão para gerir a carteira de um cliente, a função a qual cumpre restringe-se a capitalização de clientes e a assessoria em investimentos, fazendo a orientação da melhor forma de alocação de seus recursos.

Em sua rotina de trabalho existe muita leitura de análises de mercado e notícias para se manter sempre atualizado. Seu trabalho está diretamente ligado com os profissionais analistas e gestores de carteiras, recebendo e interpretando análises e entrando em contato com os gestores de forma a manifestar os interesses dos clientes.

Um corretor passa grande parte do tempo mantendo os clientes informados sobre as variações nos preços das ações. Freqüentemente, se um cliente está interessado em comprar um determinado título, e este chega a um determinado preço, ou vende  ações de uma empresa se esta  vai acima de um determinado preço. Como resultado, um corretor deve prestar atenção ao mercado com vigilância para monitorar essas flutuações.

Como o próprio nome já relaciona, o profissional trabalha de forma autônoma, isso consiste em dizer que sua remuneração, ou a maior parte dela, se dá através do método de comissão.

Por ser um autônomo, os profissionais devem ser devidamente registrados na ANCORD e CVM  e vinculados a uma instituição financeira, porém, sem vínculos empregatício.

Como ser um analista de investimentos: exige certificação específica e você terá de passar na prova da ANCORD.

Veja o curso preparatório ANCORD DE AGENTE AUTONOMO DE INVESTIMENTO  aqui.

Salário$$$$. Um AAI recebe de forma comissionada, geralmente de 0,4% à 1,6% de todo valor que ele capta ao ano.

Risco e Compliance

O profissional que segue esta carreira tem como maior função a análise e prevenção do risco de uma determinada carteira, ou seja, deve-se observar o motivo da elevação do risco do portfólio, e identificar onde se encontra o ativo responsável pela elevação do risco além do esperado. Outra função é a de supervisão dos procedimentos e controle interno para que se cumpra os padrões e regras internas e externas.

Trata-se de uma carreira com uma carga horária moderada, e parte das operações mais rotineiras é a analise de carteiras e números referentes aos ativos para mensurar de forma mais precisa possível o risco da carteira.

Como trabalhar em risco e compliance:

Um dos locais onde se é possível seguir carreira nessa área é a B3 (Bolsa de valores e mercado de balcão brasileiro), porém, para atuar é necessário que o profissional seja previamente certificado. (PQO Risco / PQO Compliance).

Veja o curso preparatório PQO B3 aqui.

Salário$$$

Planejador financeiro

Os planejadores financeiros ajudam os indivíduos a desenvolver planos que garantam sua estabilidade financeira atual e futura.

O planejador financeiro é um profissional multiespecialista, responsável por orientar seus clientes a organizarem ou reestruturarem suas vidas financeiras, de acordo com seus objetivos e necessidades, aliando planejamento e investimentos.

Normalmente, eles revisam as metas financeiras de um cliente e geram um plano apropriado para salvar e investir que atenda às necessidades individuais do cliente. O plano pode se concentrar na preservação da riqueza ou no crescimento do investimento e pode até incluir planejamento imobiliário e tributário.

A maioria dos planejadores financeiros trabalha em grandes grupos nacionais ou em empresas locais menores. Alguns planejadores cobram taxas fixas, outros, uma porcentagem dos ativos sob gestão, recebendo comissões sobre os produtos que vendem (como fundos mútuos).

Para se tornar um planejador financeiro:

A certificação da PLANEJAR não é obrigatória, mas geralmente, os planejadores financeiros com a designação Certified Financial Planner (CFP) são os mais solicitados, já que precisam obter três anos de experiência em planejamento financeiro, passar em vários exames (incluindo um exame de estudo de caso de dois dias e 10 horas) e atender aos requisitos de educação continuada.

Veja o curso preparatório CFP PLANEJAR aqui.

Como trabalhar como planejador financeiro:

O planejador financeiro pode buscar emprego em instituições financeiras, que são bastante procuradas por oferecerem uma maior sensação de segurança aos clientes.

Outra possibilidade é atuar como autônomo ou investir no próprio negócio. Além disso, o planejador financeiro pode encontrar mercado em áreas tangentes, escrevendo livros ou colunas de jornal e dando cursos (mesmo para o público em geral).

Salário$$$

Bancos de investimento-Investment Banking

A carreira no setor de Investment banking é uma das mais procuradas no mercado financeiro. O FILLET MIGNON!

Também conhecidos pelo termo em inglês, investment banking, trabalham com empresas, governos e outras instituições grandes, ajudando esses clientes em mudanças de estrutura e levantamento de capital.

Em outras palavras, emprestam dinheiro para empresas, assessoram e financiam operações de compra, fusão e reestruturação de companhias. Podem administrar fundos de investimento e auxiliar empresas a abrir capital (negociar ações) na bolsa de valores.

Para se dar bem na área, é necessário ter conhecimentos de modelagem financeira e manter um bom contato com clientes. A área é conhecida pelos prazos apertados e longas horas de trabalho, mas também pelos bônus por performance bastante altos.

Entre os maiores no Brasil estão: Goldman Sachs, JPMorgan, Credit Suisse, Merryl Linch, BTG Pactual, BNP Paribas, Itaú BBA e Deutsche Bank, além do banco público BNDES (chamado de banco de desenvolvimento, mas atua com investimentos)

Além do grande atrativo financeiro, também oferece uma ótima margem de crescimento ao longo do tempo.

O profissional que entra nessa área acaba mudando muito do seu dia-dia do começo ao fim da carreira. Durante este tempo, o profissional vai desempenhando diversas funções. Nos primeiros anos, o investment banking desempenha um papel basicamente analítico, mapeia a empresa ou setor que sua equipe cobre e se encarrega de montar extensos relatórios e apresentações para seus superiores. Com o passar dos anos passa a desempenhar funções mais importantes e mais atraentes aos olhos dos investidores. Desempenham funções como: Intermédio no processo de fusões de empresas, aquisições de empresas, aberturas de IPO, emissão de dívidas entre outras funções. Além do bom salário e dos bônus atraentes por meta concluída, outo fator que atrai para a carreira na área, é o grande network feito por esses profissionais, já que parte da rotina se dá pelo contato direto com donos e CEO das maiores empresas e sociedades anônimas do país. Apesar dos grandes benefícios, a carreira conta com uma extensa carga horária de trabalho.

A carreira não exige nenhuma certificação prévia, porém, devido ao grande número de pessoas buscando adentrá-la, torna-se algo comum a presença de certificações no currículo dos interessados em pleitear vagas. Certificações como CNPI, CGA e CFP são consideradas grandes diferenciais para este profissional. Com o passar dos anos, para exercer maiores funções e subir de cargo dentro da carreira o CFA se torna praticamente imprescindível, atestando a qualificação e conhecimento internacional sobre investimentos.

Grandes oportunidades para carreira surgem nos maiores bancos de investimentos e hedge funds do mundo. No Brasil, grandes nomes que buscam profissionais para área são: CREDIT SUISSE, JP MORGAN, MORGAN STANLEY, GOLDMAN SACHS, ITAÚ BBA, UBS, CITIGROUP, BARCLAYS, entre outros grandes nomes do setor financeiro.

Salario: $$$$$$$

Gerente de Banco Comercial

Gerente (Pessoa Física)

A figura do gerente está presente em todo banco. O trabalho constitui na gestão da conta corrente (depósito a vista) de diversos clientes, junto da prestação de serviços, oferta de novos investimentos ao cliente e a gestão de investimentos já existentes. Seria o mais próximo de um consultor financeiro determinado pelo banco para cada um de seus clientes.

Bancos comerciais tendem a contratar pessoas com formação superior em áreas como Economia e Administração, porém não se trata de um pré-requisito.

Para se tornar um gerente comercial pessoa física:  o indivíduo deve ser certificado (CPA 10 – ANBIMA).

Veja o curso preparatório anbima cpa10 aqui.

Salário$$$

Gerente (Pessoa Jurídica)

Desempenha funções semelhantes a gerente de pessoa física, porém, o que os diferenciam são os públicos com os quais atuam. Trabalham em segmentos private e corporate. Ficam encarregados de lidar com contas de investidores qualificados e empresas. Possuem acesso a produtos diferenciados de investimentos, produtos destinados apenas a esses clientes com maior capital.

Para se tornar um gerente comercial pessoa jurídica:  o indivíduo deve ser certificado (CPA 20 – ANBIMA).

Veja o curso preparatório anbima cpa20 aqui.

Salário: $$$$ 

Hedge Funds Fundos de hedge

Os fundos de hedge são, em grande parte, fundos de investimentos privados não regulamentados cujos administradores podem comprar ou vender uma ampla gama de ativos e produtos financeiros. Por causa do mistério que envolve esse tipo de entidade, os empregos em fundos de hedge também são considerados por muitos como algo glamourosos.

Empregos típicos de fundos de hedge incluem:

  • Analista financeiro
  • Trader
  • Oficial de conformidade regulamentar
  • Analista Quantitativo
  • Gerente de marketing
  • Gerente de portfólios

Private Equity e Venture Capital

Profissionais de private equity ajudam as empresas a encontrar capital para expansão e operações atuais. Eles também fornecem financiamento para várias transações comerciais corporativas, como aquisições gerenciadas e reestruturações.

Às vezes, um trabalho de private equity pode envolver o trabalho como executivo interino em uma empresa em dificuldades, onde seu sucesso ajuda a determinar o destino da empresa.

Profissionais de capital de risco (VCs) passam a maior parte do tempo com startups ou pequenas empresas de rápido crescimento. Empresas de capital de risco avaliam os argumentos de fundadores e líderes de pequenas empresas para determinar se a empresa fará um investimento. Às vezes referido como “capitalistas abutres”, os VCs são conhecidos por estruturar acordos que favorecem o investidor, não a empresa que recebe financiamento.

A esperança da VC é que a empresa financiada algum dia vá a público – isto é, disponibilize seu estoque no mercado de ações público. O capital de risco é um negócio difícil em que a taxa de insucesso é alta, mas as recompensas, se forem realizadas, podem ser enormes.

 

Bancos de Varejo/Comercial

 Um banco com tal carteira se destaca pela possibilidade de receber depósito à vista. No Brasil são os bancos de maior destaque, sendo representados por instituições tanto estatais quanto privados: ITAÚ BBA, BRADESCO, SANTANDER, HSBC, CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, BANDO DO BRASIL, entre outros.

A maioria dos bancos comerciais não se restringem apenas a possuir uma carteira comercial, acabando por adquirir também uma carteira de investimentos para que possam trabalhar com outras formas de captar recursos, tornando-se, assim, os chamados bancos múltipos.

Corretoras de Valores Mobiliários (CTVMs) e Distribuidoras de Valores Mobiliários (DTVMs).

São os agentes responsáveis pela intermediação entre investidor e instituição financeira, trabalham operando ordens financeiras de clientes, ou seja, o cliente ordena a compra ou venda de determinado ativo, essa ordem chega á corretora e a corretora envia tal ordem para instituição financeira a fim de ser executada. São extremamente importantes para liquidez do mercado e funcionamento das operações. Nenhum indivíduo pode operar no mercado financeiro sem ter uma CTVM ou uma DTVM como agente intermediário.

Antes de 2009, o que diferenciava uma CTVM de uma DTVM era o fato das negociações de ações serem exclusivamente executadas pelas CTVMs. A partir de 2009, as DTVMs também adquiriram o direito de negociar ações, o que as deixou com funções semelhantes no mercado. Dentre as mais conhecidas no Brasil estão: XP INVESTIMENTOS, RICO , BTG,  CLEAR, entre outras.

Certificações

CPA 10: Exame aplicado pela ANBIMA. Certificação é obrigatória para profissionais que atuam na oferta de produtos de investimento diretamente ao investidor e na manutenção de carteiras de investimentos.

CPA 20: Exame realizado pela ANBIMA. Certificação é obrigatória para profissionais que atuam na oferta de produtos de investimento diretamente ao investidor qualificado e na manutenção de carteiras de investimentos. O exame tem custo aproximado de R$ 400,00.

CEA: Exame é aplicado pela ANBIMA. O objetivo é certificar os profissionais que assessoram os gerentes de contas de investidores, mantendo um elevado padrão desse profissional. A aprovação e lhe dá direito a exercer as funções que abrangem as certificações CPA 10 e CPA 20.

CNPI: A certificação é concedida pela APIMEC e a realização do exame é feita pela FGV. Se trata de uma qualificação voltada para profissionais do mercado financeiro e de capitais no Brasil, obrigatória para profissionais que desenvolvem relatórios. Existem 3 formas de certificação: CNPI para o analista fundamentalista, CNPI-T para o analista técnico e CNPI-P para o analista pleno (fundamentalista e técnico). O exame se divide em 3 módulos:

CB (Conteúdo Brasileiro): Obrigatória a realização quaisquer das certificações. Contém 60 questões sobre o funcionamento do mercado brasileiro.

CG1 (Conteúdo Global 1): Obrigatório realização para as certificações de CNPI e CNPI-P. Contém 60 questões sobre analise fundamentalista.

CT1 (Conteúdo Técnico 1): Obrigatório realização para as certificações CNPI-T e CNPI-P. Contém 60 questões sobre analise técnica.

AAI: O exame é realizado pela ANCORD e visa qualificar o profissional com a premissa de manter e nivelar técnicamente o profissional que irá, dentre as suas atribuições, ofertar e distribuir títulos de valores mobiliários a clientes, geralmente em CTVMs e DTVMs. O exame é constituído de 80 questões.

CGA: Exame realizado pela ANBIMA. Certificação obrigatória para os profissionais que desejam realizar gestão de recursos de terceiros, com o poder de tomar decisões em nome de seus clientes. O profissional deverá ser aprovado no exame com constituição de 2 módulos com 60 questões cada módulo.

PQO (Programa de Qualificação Operacional): A certificação é o meio em que a bolsa de valores brasileira (B3) autentica o conhecimento do profissional em questão para exercer a função de determinada área de atuação. A certificação é dividida em áreas do conhecimento: Operações, Compliance, Risco, Comercial, Back Office, Custódia, Liquidação, Cadastro de Clientes, Registro.

CFP:  O exame é realizado pela Associação Brasileira de Planejadores financeiros e tem como objetivo qualificar o profissional que irá prestar consultoria financeira a cada cliente, desenvolvendo e executando estratégias de planejamento financeiro adequadas ao perfil do cliente. O exame é constituído de 140 questões . Além da aprovação no exame, para adquirir a certificação o profissional deve comprovar mínimo de 3 anos de atuação em  áreas correlacionadas.

CFA: Trata-se de uma certificação internacional, a certificação financeira de maior reconhecimento mundial. A certificação atesta que o profissional que a obtém é um grande especialista financeiro, sabendo desde montagem de carteira à obter boa relação com o cliente. O profissional que possui tal certificação é considerado um especialista em investimentos, não só no Brasil como no mundo. A prova consiste em 3 módulos, é realizada totalmente no idioma inglês. Além da aprovação no exame, para que o profissional se torne credenciado a usar “CFA” como assinatura ele deve cumprir o pré-requisito de esta a pelo menos 4  anos de experiência atuando na área financeira. Apesar de não ser obrigatório par desempenho de nenhuma função, o CFA é visto como grande diferencial na área de finanças, comparável a um MBA.

Summary
Como trabalhar no mercado financeiro
Article Name
Como trabalhar no mercado financeiro
Description
Como trabalhar no mercado financeiro. Quanto vou ganhar no mercado financeiro. Qual área vou trabalhar?
Flávio Lemos
Trader Brasil
trader brasil
Publisher Logo