Gostou? Incentive o autor!

Saber lidar com o dinheiro é fundamental para pessoas de qualquer idade e ainda mais para quem está começando a ganhar o primeiro salário ou planejando a sua vida para as próximas etapas. Por isso, a educação financeira para jovens é um tema essencial.

Quanto mais cedo aprendemos a nos relacionar com o dinheiro de forma saudável e a poupar para o futuro, mais frutos positivos poderemos colher dessa relação, como estabilidade financeira, organização para aposentadoria e a possibilidade de realizar seus sonhos. Está precisando de algumas dicas de educação financeira para jovens? Siga conosco!

Qual a importância da educação financeira para jovens?

Antes de compreender a importância da educação financeira para jovens, é crucial que você entenda o que é educação financeira.

O termo vai muito além do que simplesmente saber organizar as finanças e planejar as compras, ele envolve a compreensão dos produtos e serviços financeiros, fazendo com que a pessoa consiga escolher de maneira mais consciente e bem informada.

Ou seja, a educação financeira é a habilidade de entender como o dinheiro funciona, compreendendo também sobre investimentos, lucratividade, rentabilidade e outras questões.

Embora a educação financeira seja crucial para todas as pessoas, para os jovens, ela é ainda mais importante. Afinal, é por meio desses conhecimentos que você conseguirá se tornar um adulto responsável, gerindo bem suas finanças, planejando seu futuro sabendo como investir, fazendo escolhas mais conscientes e evitando se tornar uma pessoa endividada.

Algumas escolas já estão aderindo à ideia e incluindo o tema nas aulas. Mas nem todos tiveram essa oportunidade. Se você está começando agora no mercado de trabalho ou está tendo de lidar com as dúvidas comuns do dia a dia, pode se sentir perdido, sem saber, exatamente, como funciona o cartão de crédito, cheque especial e empréstimos.

E sem esses conhecimentos, sua iniciação na vida adulta pode se tornar um caos, com uma série de dívidas que se tornarão uma bola de neve.

Educação financeira para jovens: quais as melhores dicas?

Você já viu que a educação financeira para jovens é um tema muito relevante, permitindo que você faça escolhas mais sensatas e tenha um futuro mais estável, não é? Então veja algumas dicas que separamos nesse sentido!

1. Faça uma autoavaliação

Antes de pensar em qualquer estratégia, é preciso que você se conheça, entendendo qual é a sua situação financeira atual, seus objetivos em curto, médio e longo prazo e como você lida com o dinheiro, pensando em quais conhecimentos já tem e o que precisa ser melhorado.

Dessa forma, será mais fácil criar um plano de ação para organizar suas finanças. Por exemplo, se você não tem ideia de como anda sua vida financeira, poderá começar a poupar sem critérios, cortando despesas básicas e essenciais e comprometendo a sua qualidade de vida.

2. Tenha um planejamento financeiro

O planejamento financeiro será uma ferramenta que lhe acompanhará por toda a vida – e com o tempo esse será um hábito.

Coloque no papel tudo o que você ganha no mês, as despesas fixas (que ocorrem todos os meses) e variáveis (que ocorrem sem uma frequência certa), o valor destinado a compras supérfluas, entre outros pontos.

Analise friamente esse controle. Será que é possível reduzir ou realocar gastos? Quanto por mês você consegue economizar? Dessa quantia economizada, quanto ainda é necessário para realizar seus sonhos?

Em relação às metas que citamos no tópico anterior, é fundamental que você seja realista. Não adianta planejar comprar coisas extremamente caras em pouquíssimo tempo, por exemplo, pois isso irá lhe desanimar. Ao ter metas possíveis de serem alcançadas, você se sente motivado a separar uma quantia por mês do seu orçamento.

Alguns exemplos de metas que você pode pensar, por exemplo, no curto prazo, é fazer uma viagem e no longo prazo, comprar uma casa.

3. Crie um cronograma

A melhor maneira de organizar seus objetivos e suas finanças é criando um cronograma. Coloque nele suas metas e o prazo máximo para alcançá-las, bem como o valor final de cada uma delas.

E, então, planeje o quanto você precisará poupar em cada mês para atingir o seu objetivo. Faça um cronograma para cada meta.

4. Gaste menos do que ganha

Será difícil conseguir economizar para seus sonhos futuros se você gastar tudo o que ganha, não é? Ter controle sobre seus gastos é um passo essencial da educação financeira.

Para não fechar os meses no vermelho, tente usar mais o cartão de débito e menos o de crédito, gastando apenas a quantia referente ao que você, de fato, tem na sua conta.

E se o orçamento está apertado, você pode usar a regra dos 50-20-30, ou seja, 50% do salário para gastos essenciais (necessários para se manter no dia a dia), 20% para manter seu estilo de vida e 30% para prioridades financeiras (quitar dívidas, construir uma reserva de emergência ou um portfólio de investimentos).

Não se esqueça de cortar as despesas supérfluas e de viver abaixo da sua renda. Muitas vezes acabamos consumindo itens que não podemos pagar, apenas para nos afirmar perante a sociedade – e isso é um passo para o caos.

5. Aprenda sobre investimentos

Guardar o dinheiro de maneira certa é que fará com ele renda mais e você atinja seus objetivos. Mas para isso, você precisará saber como investir. O melhor, nesse caso, é fazer cursos sobre investimentos, ler livros sobre a área e se informar.

Entenda, por exemplo, qual é o seu perfil de investidor, como os diferentes investimentos funcionam, quais tipos de investimentos são mais interessantes para os seus objetivos, entre outros pontos.

Você poderá investir em renda fixa, renda variável, ações na Bolsa de Valores, em imóveis e até em criptomoedas. O importante é entender muito bem como cada investimento funciona, avaliar se é adequado ao seu perfil e entender se é compatível com suas metas.

6. Seja criterioso na hora de investir

Colocar todo o dinheiro na poupança e esperar que ele se multiplique é como querer emagrecer comendo pizza/macarrão todos os dias e sem fazer exercícios. Então, use o conhecimento do tópico anterior para investir com sabedoria.

Não tenha apenas um produto financeiro na sua carteira. Quanto mais variada ela for, menos exposto ao risco você estará. Além disso, você poderá pensar em investimentos variados para seus múltiplos objetivos. Ou seja, um para a aposentadoria, outro para comprar o primeiro imóvel e outro para a sua viagem inesquecível.

Quem deseja investir na Bolsa de Valores ou em Bitcoins, por exemplo, precisa reunir conhecimentos básicos sobre o mercado antes de se aventurar. A boa notícia, no entanto, é que o número de jovens investidores vem crescendo continuamente.

7. Use a tecnologia a seu favor

A tecnologia é uma grande aliada da educação financeira para jovens. O que não falta são aplicativos que ajudam a gerenciar a sua vida financeira e a organizar melhor suas metas e investimentos.

Use esses aplicativos, simplificando o processo e otimizando sua rotina. Muitas dessas soluções contam com recursos interessantes, como gráficos com seus principais gastos mensais, dicas de como reduzir os custos e outras informações bacanas que podem lhe ajudar a entender melhor seu perfil de consumo.

É claro que, nenhuma dessas dicas de educação financeira para jovens funcionará se você não tiver disciplina. Com o tempo, todos esses detalhes acabam se tornando hábitos – e você começará a organizar sua vida financeira com mais facilidade.

Porém, até isso acontecer, você precisará ser disciplinado para organizar sua planilha de gastos, acompanhar seus investimentos e modificar o seu padrão de consumo.

Gostou das nossas dicas de educação financeira para jovens? Conheça os cursos da Trader Brasil e aumente seus conhecimentos sobre investimentos, modificando a sua relação com o dinheiro!