Gostou? Incentive o autor!

MADRI/RIO DE JANEIRO (Reuters) – A petroleira espanhola Repsol planeja realizar uma oferta pública de ações (IPO) das suas operações no Brasil até o quarto trimestre e aumentar em 40 por cento seu capital, afirmou nesta quinta-feira o diretor de operações da companhia.

“A colocação se realizará mediante uma ampliação de capital de 40 por cento”, disse Miguel Martínez em uma conferência com analistas nesta quinta-feira para comentar o resultado da companhia no segundo trimestre deste ano.

A Repsol-YPF divulgou nesta quinta-feira que registrou lucro de 523 milhões de euros (680 milhões de dólares) de abril a junho, alta de 60 por cento ante o período anterior, que também superou a expectativa de 462 milhões de euros, segundo pesquisa feita pela Reuters com nove analistas.

No mesmo período, a empresa destinou investimentos de 100 milhões de euros ao Brasil, “um dos focos de crescimento estratégico de grupo”.

Segundo a companhia, a ideia inicial era ir ao mercado na mesma época da emissão da Petrobras, em setembro, mas a operação agora pode ocorrer até o último trimestre do ano.

Apesar de a maior tendência ser a capitalização pela oferta pública, o diretor não descartou vender os ativos para um investidor.

“No momento preciso, se decidirá se realiza uma saída pela bolsa ou uma venda a um investidor industrial”, informou o executivo.

A companhia é parceira da Petrobras nos promissores campos de Guará e Carioca, no pré-sal da bacia de Santos, além de possuir outros 16 blocos no país. É ainda sócia da Petrobras na refinaria Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul.

Em novembro do ano passado, a empresa anunciou investimentos entre 380 e 400 milhões de dólares no Brasil para este ano e sua intenção de se capitalizar para conseguir acompanhar os elevados investimentos do pré-sal.

A empresa tem 25 por cento do campo Carioca, que ainda não possui estimativas de reservas, e também 25 por cento de Guará, que possui reservas recuperáveis de 1,1 a 2 bilhões de barris de óleo leve.